Arquivo da tag: Mobilização

Ocupação da CONAE (28/03/2010)

No domingo, 28/03/2010, nossa mobilização se uniu ao protesto dos professores, funcionários e estudantes da Unb no Centro de Convenções Ulisses Guimarães para manifestações na CONAE. Praticamente todos os servidores do Inep presentes vestiram camiseta da Assinep com nossas reivindicações, o que se mostrou um boa forma de divulgação e reconhecimento.  Subimos no carro de som da Unb para expormos a situação no INEP, nossos pleitos e mostrar nossa indignação frente a atual política federal em relação a todos os servidores da educação.

A manifestação da Unb foi criativa. Com a temática de que a “Unb não era lixo”, os manifestantes da universidade vestiram sacos de lixo e usaram cestos de lixo como “capacetes”. Levando faixas, bonecos de sucata, carro de som e até fazendo breves encenações, conseguiram chamar a atenção em frente ao Centro de Convenções. Depois das falas no carro de som, os manifestantes tentaram entrar no evento, contudo havia certa resistência dos seguranças. Com a pressão do movimento  conseguiram adentar ao recinto. Os manifestantes do Inep entraram juntos. Veja o vídeo da ocupação.

Uma vez dentro do local, se dirigiram para cima, onde o acesso as poltronas estava liberado. Lá puderam colocar as faixas da mobilização. A faixa do Inep foi colocada em um ponto estratégico, visível aos participantes do CONAE e principalmente aos palestrantes do evento.

Contudo a manifestação neste espaço seria de pouco impacto. Por isso, os manifestantes tentaram entrar na parte principal do auditório, o que se mostrou complicado. Por insistência, determinação e pressão, o movimento conseguiu entrar. Os participantes da CONAE vaiaram os manifestantes, acreditando que esta não era uma forma adequada de manifestação. Fato triste ver o quão conservador era o público do CONAE e sua falta de empatia pela manifestação dos servidores da educação. Foi negociado com a organização do evento uma fala para os manifestantes da Unb para que todos do CONAE entendessem o protesto. O Inep tentou um espaço para falar no palco, contudo não nos foi liberado.

Houve repercussão na mídia em relação a esta mobilização

http://noticias.terra.com.br/educacao/noticias/0,,OI4345501-EI8266,00-Confronto+marca+abertura+de+Conferencia+de+Educacao+no+DF.html

http://educacao.uol.com.br/ultnot/2010/03/29/manifestacoes-marcam-abertura-da-conferencia-nacional-de-educacao.jhtm

A atuação dos servidores de Inep no local foi importante para mostrarmos nossas reivindicações e atuarmos juntos a outros servidores da educação que lutam por melhores condições de trabalho. Que nossa mobilização cresça cada vez mais.


Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Sobre a Conferência Nacional de Educação Básica – CONAE

Sobre a Conferência Nacional de Educação Básica – CONAE

O credenciamento da CONAE vai começar no dia 28/03/10 a partir das 8:30. As pessoas vão chegando ao longo do dia e a abertura será à noite, a partir das 18:00. A idéia é que a gente se reúna lá às 16:00 para entregar panfletos e abrir nossa faixa. Os professores da UnB vão se concentrar no Mane Garrincha às 16:00, podemos nos juntar a eles.

Resumo: vamos nos encontrar as 16:00 em frente ao Centro de Convenções. (ele fica no eixo monumental, na altura do Mane Garrincha.

Enquête: O que vai parar de funcionar no Inep caso haja uma greve?

Conversem com seus colegas sobre o que uma possível greve poderia impactar nas atividades do Inep e escrevam para blogdoinep@gmail.com

A gente vai sistematizar todas as mensagens em um documento só.

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Notícia importante

Direto do site do Deputado Carlos Abicalil

Pesquisadores do Inep pedem apoio a Abicalil para plano de carreira

Referência na defesa das políticas educacionais no Brasil, o deputado federal e vice-líder do Governo no Congresso, Carlos Abicalil (PT), recebeu pleito da categoria de pesquisadores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), nesta quinta-feira (11/02), em Brasília.

Segundo os funcionários, trata-se de uma reivindicação histórica pela luta de um plano de carreira dos servidores do Inep. Os pesquisadores questionam a diferença no tratamento de salário comparado com servidores de outros órgãos de pesquisa, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o deputado Abicalil, a pauta necessariamente precisa ser observada com zelo e cuidado que merece. Ele observa que, posterior ao concurso público do Inep, boa parte do quadro recém incorporado por concurso público deixam a carreira do instituto e imigram para outro organismo.

“É uma demanda específica, tendo em vista a consideração de que se trata de um órgão que abrange cada vez maiores responsabilidades de acompanhamento e pesquisas sobre a oferta de educação no Brasil. É o caso da realização do novo Exame Nacional do Ensino Médio [Enem 2009] que multiplicou as dimensões do trabalho e as repercussões”, disse.

Abicalil considera o pleito legítimo e anunciou que vai participar dos desdobramentos do tema. “Há um processo de negociação em curso com agenda até o início do mês de abril e considero legítimo e adequado que acompanhamos os desdobramentos, de modo a preservar bons quadros profissionais de pesquisadores”, complementa.

O plano de carreira dos pesquisadores do Inep está em análise no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Convocação Virtual

Solidários/as Servidores/as do INEP, o Ministério do Planejamento precisa compreender a urgência da nossa demanda pela revisão dos Planos de Carreira. É preciso que o Governo perceba o alto índice de exonerações e as consequências disso para o futuro do INEP. É preciso parar essa fuga de cérebros!

Os principais motivos disso são o plano de carreira inconsistente e pouco atrativo (principalmente para as mulheres) e a mínima disposição do Ministério do Planejamento em negociar conosco. A mensagem que fica para o servidor ao vislumbrar esse cenário é muito clara e aponta para a falta de perspectiva nessa carreira. Sem perspectiva de reposição salarial ou plano de carreira, os servidores abandonam o órgão, muitas vezes para trabalhar em locais menos afins a suas formações, mas que possuem melhores perspectivas de médio e longo prazo.

A educação brasileira é a maior prejudicada, pois, com esse triste ciclo, um órgão estratégico para a formulação das políticas de Estado para educação acaba esvaziado. É preciso que o governo se comprometa com a Educação como uma questão de Estado, ou seja, que não está em função dos ventos ideológicos ou pragmáticos de um governo específico e invista na educação de qualidade. Para que isso ocorra, é preciso reconhecer e valorizar nossa carreira e assumir compromissos de longo prazo.

Para isso, estamos lançando uma campanha para que cada servidor/a se cadastre na Ouvidoria do MPOG e deixe sua mensagem. Essa é a única maneira de driblarmos servidores descompromissados com a coisa pública e fazer com que nossa mensagem chegue aos ouvidos da direção do órgão.

Passo a passo:

1° Acesse o banner cadastre sua mensagem

2° Deixe sua mensagem demonstrando sua insatisfação com o plano de carreira do INEP e clique em avançar

3° Insira seu CPF e o órgão será selecionado automaticamente, complete os dados e envie.

4° Deixe seu comentário aqui no blog

Obs. Inexplicavelmente, o serviço só funciona no Internet Explorer (surpresa, um governo que defende o software livre privilegiar o browser do Bill Gates).

Subsídios para argumentação:

– Equiparação dos valores da tabela remuneratória do PEC/INEP ao das novas carreiras

– Redução do número de padrões de progressão de 24 para 13.

– Redução do tempo de progressão por mérito (de 18 para 12 meses) e de promoção por capacitação (de 60 para 36 meses).

– Regulamentação das gratificações GDIAE e GDINEP e aumento do valor do ponto (de 0,4 para 0,8)

– Novos parâmetros para a Gratificação de Qualificação (GQ) de nível médio (capacitação, graduação e especialização) e em bases percentuais

– Cálculo da Retribuição por Titulação (RT) em bases percentuais (27% para especialização, 52,5% para mestrado e 105% para doutorado)

3 Comentários

Arquivado em Mobilização